AMB marca presença no 14º Prêmio Innovare

AMB marca presença no 14º Prêmio Innovare

Os vencedores da 14ª edição do Prêmio Innovare foram anunciados nesta terça-feira (5), durante cerimônia no Supremo Tribunal Federal (STF), que contou com a participação do presidente da AMB, Jayme de Oliveira.

Este ano, 710 práticas foram inscritas no prêmio sendo que a categoria que mais recebeu inscrições foi “Justiça e Cidadania”, na qual qualquer cidadão pode participar. Na categoria Juiz, a prática “Sistema de apreciação antecipada de benefícios”, desenvolvida pelo juiz Vidal de Freitas Filho, foi a vencedora. Nela é desenvolvido um procedimento que garante ao preso a progressão para o regime semiaberto, aberto ou condicional na data exata por meio de um sistema de informática, simplificando o processo.

Além das seis categorias tradicionais – Advocacia, Defensoria Pública, Ministério Público, Juiz, Tribunal e Justiça e Cidadania – neste ano, o Innovare deu destaque para uma prática com o tema Sistema Penitenciário. A vencedora foi “Meninas que educam”, desenvolvida pelo agente penitenciário Marcus Karbage e pela dentista Aline Cabral, com intuito de combater a discriminação de LGBTs dentro e fora da cadeia.

Com o objetivo de identificar, divulgar e difundir práticas que contribuam para o aprimoramento da Justiça no Brasil, o prêmio, considerado o mais importante da Justiça brasileira, já recebeu mais de 5 mil inscritos desde sua criação em 2004. Realizado pelo Instituto Innovare, tem a parceria das maiores entidades jurídicas do País, entre elas a AMB.

Confira abaixo as práticas vencedoras das demais categorias:

Tribunal

Prática “Amparando filhos – transformando realidades”, do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), que tem como objetivo oferecer amparo total a filhos de mães presas.

Ministério Público

Prática “GesPro – Projeto de gestão administrativa de promotorias”, que busca profissionalizar a gestão das promotorias do estado de Santa Catarina, com implementação de indicadores de risco, pesquisa de satisfação do cidadão entre outras.

Defensoria Pública

Prática “Defesa dos direitos indígenas”, que visa garantir o direito à identidade e ao nome civil de povos indígenas, considerando sua cultura e costumes, com intuito de que cartórios e outras instituições grafem corretamente o nome étnico.

Advocacia

Prática “Responsabilidade compartilhada: uma via para a humanização do sistema prisional e para a proteção social”, desenvolvida com objetivo de articular diversos órgãos a fixar diretrizes e definir ações que implementem um novo modelo de unidade prisional.

Justiça e Cidadania

Prática “Visão de liberdade”, que busca beneficiar a educação dos deficientes visuais e incluir socialmente os presos, por meio da produção material falado, impressão de livros em braile, maquetes e jogos adaptados pelos presos.

Fonte
http://www.amb.com.br