Amam lança campanha institucional “Justiça em Números”

Amam lança campanha institucional “Justiça em Números”

A Associação Mato-grossense de Magistrados (Amam) lançou uma campanha institucional nos meios de comunicação de Mato Grosso com o intuito de reconhecer, estimular e valorizar a produtividade da magistratura no Estado. 

  

Televisões, rádios, jornais e sites estão reforçando os bons resultados alcançados pelo Poder Judiciário mato-grossense no “Relatório Justiça em Números 2017 (ano-base 2016)”, divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

  

Conforme explica o presidente da Amam, José Arimatéa Neves Costa, a campanha é uma maneira de ressaltar o intenso trabalho dos magistrados no Estado, bem como promover a reflexão acerca de como essa produção – que inclui o esforço dos servidores – desdobra-se em serviços que melhoram a vida da população.

  

“Os expressivos números e índices alcançados pelo Poder Judiciário mato-grossense em 2016 acabam por torná-lo um exemplo para a comunidade e demonstram seu compromisso com a paz social. Hoje somos cerca de 290 magistrados, 4.516 servidores e 79 comarcas espalhadas pelos 141 municípios de Mato Grosso. Se levarmos em consideração os 3,3 milhões de habitantes do Estado, cada magistrado mato-grossense tem sob sua responsabilidade 115 mil pessoas”, ressalta.

 

Em 2016, registrou-se um ingresso de 504.170 novos processos no Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT). No mesmo período, arquivou-se 518.815 processos e foram dadas 588.774 sentenças. José Arimatéa destaca que, por trás desse quadro que orgulha a magistratura mato-grossense, existem diversos fatores. Entre eles, constam condições de trabalho nem sempre adequadas para a distribuição da Justiça que a sociedade espera.

 

“A importância desses números sobreleva-se à constatação estatística da excelência do Poder Judiciário no Estado, pois em Comarcas mais afastadas da Capital, a exemplo de Colniza e Vila Rica, os abnegados magistrados têm de se levantar de madrugada para dispor de uma internet com velocidade e baixo congestionamento que lhe possibilite alimentar com suas decisões e sentenças sistemas como o PROJUDI e o PJE”, reforça.

 

JUSTIÇA EM NÚMEROS – Entre os destaques da campanha, que segue veiculando no Estado por meio de materiais online e offline, está o índice de produtividade do magistrado mato-grossense, que foi de 2.084 processos em 2016. Isto significa que – sem excluir sábados, domingos e feriados – foram resolvidos ou arquivados 5,7 processos no Sistema Judiciário de Mato Grosso, por dia, no ano passado.  

   

Com esse desempenho e outros fatores positivos, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) ficou em primeiro lugar em produtividade entre os tribunais de médio porte de todo o país, conforme aponta o Índice de Produtividade Comparada da Justiça (IPC-jus). 

   

Os magistrados mato-grossenses alcançaram o índice geral de produtividade de 95% – considerando 1º e 2º graus e a área administrativa. Sendo a Justiça Estadual estruturada em duas instâncias: 1º grau, que é composta pelos Juízes de Direito, varas, fóruns, tribunais do júri, juizados especiais e suas turmas recursais; e de 2º grau, que é representada pelos Tribunais de Justiça (TJs).  

   

Ocorre que o trabalho dos magistrados mato-grossenses de 1º Grau atingiu índice 100% entre os tribunais estaduais de médio porte e os de 2º Grau alcançaram 75%, totalizando a média mato-grossense em 95%. Para se ter ideia, a média nacional é de 82% – isto é, 13% abaixo de Mato Grosso.  

   

Para efeitos de comparação, o segundo lugar entre os tribunais de médio porte é o TJ do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), com índice de 78%, seguido pelo TJ de Santa Catarina (TJSC), com 77%.

Assessoria de Imprensa Amam | ZF Press